Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bom ano

por aquimetem, Falar disto e daquilo, em 23.12.11

Igreja antiga da Bajouca, datada de 1888

           A freguesia da Bajouca está em festa, não só pela Santa Quadra que está a decorrer, mas também pelos 40 anos de independência autárquica que no passado dia 17 de Dezembro foram assinalados. Desanexada nessa ocasião de Monte Redondo, logo o dinamismo com que arrancou em busca de recuperar do abandono a que esteve sujeita durante séculos começou a produzir frutos, e progressivamente a Bajouca sai do anonimato. De tal modo que é hoje motivo de orgulho para toda a comunidade bajouquense, e de muita admiração para quem visita esta simpática netinha do Souto da Carpalhosa.

  

Da igreja antiga resta apenas a torre, como ex-líbris da localidade

           Foi em 1972, um ano após o inicio da sua triunfante caminhada, que conheci esta acolhedora e bairrista localidade da região leiriense e logo a sua história me despertou curiosidade, uma vez que o topónimo já me era familiar doutra região minha conhecida, da Maia (freguesia de Gimunde). Daí o não tardar em fazer uma pesquisa à volta da região onde a terra do Padre Jerónimo fica integrada e de que resultou um esboço monográfico que intitulei: "Terras do Lis e de Santo Aleixo da Bajouca". Trabalho que o ELO já divulgou e que se destinava a um concurso literário (Jogos Florais, de Leiria), de 1974.

Igreja nova da Bajouca que com a  residencia Paroquial e a sede da Junta de Freguesia

dão vida à Bajouca Centro,

          Ao tempo ainda a história da terra era muito mal sabida e contada havendo mesmo entre os mais sabidos da terra quem aventasse que a origem da Bajouca estava relacionada com a construção da igreja dos Milagres, operários vindos do Minho para aqui viver. Depressa se desfez esse parecer e hoje apenas o topónimo está e vai continuar a estar por se saber o seu significado e origem. Mas que é antigo ninguém tenha dúvida, assim como também a sua localização em terras do Lis, ou antes da Ribeira da Bajouca. Quem com algum jeito para arrolar informação e arte para materializar a obra, por certo que não vai ter dificuldade em fazer um trabalho com muito interesse para a história local e que a Bajouca tanto carece.  A promessa está feita, cumpra-se, e tanto melhor se já por ocasião dos 40 Anos da criação da paróquia,  no próximo dia 2 de Fevereiro de 2012!  Entretanto muitos parabéns à autarquia e os votos de Santo e Feliz Natal para todos os bajouquenses, mormente os que habitualmente passam uma vista de olhos por este blog. Parabéns a todos, e bom ano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:31


2 comentários

De Costeira da Murta a 28.12.2011 às 18:16

Apenas alfinetar.
Estar de fora a mandar palpites é fácil, meter as mãos na massa é bem diferente.
Comentar, por comentar, também.
Intriga-se onde terá o estimado repórter ido desencantar a fotografia antiga da Capela da Bajouca, é que, parece-me que tem a torre ao contrário! O ângulo não será das traseiras, porque aí não havia porta alguma.
Talvez seja imagem invertida e aí sim, temos a torre do lado direito!
Como vê, vaidade minha, é mais fácil dizer disparates, do que limpar o erro da memória de quem lê todos os detalhes! Escrever a história da Bajouca, não deverá ser uma coisa por encomenda, pois tem que sair de dentro e com alma, mas pelo que me constou, estará nas melhores mãos!
Mas alfinetar para quê, se o Costeira é treinador de bancada e de onde meter golos é fácil?
Tenho tido o cuidado de comentar contornos e contar peripécias, algumas conhecidas de alguns.
Um dia destes descobrem-me a careca, espero que não! E aí corro o risco de levar uma coça como a que levou aquele jovem que nos anos 80 não achou justo alcatroar o caminho do cemitério.
No seu sentir e pensar haveria outras prioridades, no entanto hoje, e julgo que a maioria também o achará, os motivos que nos levarem em romagem àquele local merecem-nos a melhor dignidade.
Parabéns Bajouca e força para o novo ano de 2012.
Saudações

De aquimetem, Falar disto e daquilo a 05.01.2012 às 19:09

Ora cá está um daqueles comentários que enriquece o tema em abordagem e obriga a uma resposta fundamentada . Dizem que os "coisos" são sempre os últimos a saber, aqui não se trata desse matéria de serração, mas antes de alfinetadas que certamente o enigmático Sr. Costeira da Murta ouviu alguém me dar em nome da capela da Bajouca . Conheci e visitei muitas vezes a referida capela, mas se não fosse a atenta observação que faz jamais me recordava que a torre de capela ficava do lado direito da porta principal e que por isso a foto que escolhi para ilustrar o post não corresponde à configuração que tinha quando corpo da antiga capela. É como muito bem diz, trata-se de uma imagem invertida que recolhi, creio, do ELO e que tomei por bem divulgar, azar meu. Mas com este esclarecimento ficou o post arranjadinho e pronto para outra....Se fotos desse tempo ouvir e quem os tem quiser mostrar . Estas alfinetadas são salutares, até porque corrigir os que erram é umas das virtudes cristãs . Bem haja

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D